Angola,

Enquadramento do País
Sobre Angola

about image
Image

A Nossa Historia

O navegador português Diogo Cão, aquando da sua chegada às costas de Angola em 1482, encontrou já um reino estruturado – O Reino do Congo, formado pelos povos Bantu, vindos essencialmente do Norte.

Foi então estabelecida uma relação cordial entre os portugueses e os soberanos do Reino com intensas trocas comerciais. Mas essa relação cordial foi quebrada quando Paulo Dias de Novais iniciou a ocupação e administração directa da orla marítima através do estabelecimento de várias capitanias.

Paralelamente inicia-se o tráfico de escravos para o Brasil até ao século XIX quando foi abolida a escravatura.

Angola é um jovem país que conquistou a sua independência em 1975 após mais de 500 anos de colonização portuguesa. A 4 de Fevereiro de 1960 dá-se o início da luta armada de libertação (com destaque para três partidos armados – MPLA, FNLA e UNITA).

A 11 de Novembro de 1975 é proclamada a independência de Angola pelo Dr. António Agostinho Neto. Não foi ainda, no entanto, nessa altura que Angola alcançou a tão ansiada paz.

Os principais partidos armados envolveram-se numa guerra pelo poder que se prolongou por longos anos. Conquistada a paz no ano de 2002, Angola encontra-se neste momento num dinâmico processo de reconstrução nacional. Todos os sectores da economia angolana, assim como as infraestruturas têm sido alvo de esforços de revitalização.

Língua Oficial

A língua oficial é o Português. Existem ainda mais de 20 línguas nacionais. A segunda língua mais falada (26%) é o umbundo na região centro-sul de Angola e em muitos meios urbanos. A terceira língua nacional mais falada (20%) é o quimbundo na zona centro-norte, no eixo Luanda-Malanje e no Kwanza-Sul.

Foi esta língua que deu muitos vocábulos à língua portuguesa e vice-versa. O quicongo (ou kikongo) falado no norte, (Uíge e Zaire) tem diversos dialectos. Na província de Cabinda, fala-se o fiote ou ibinda. O chocué (ou tchokwe) é a língua do leste, por excelência.

Desde a Lunda Norte ao Cuando Cubango. Cuanhama (kwanyama ou oxikwnyama), nhaneca (ou nyaneca) e mbunda são outras línguas de origem bantu faladas em Angola. No sul de Angola são ainda faladas outras línguas do grupo khoisan, faladas pelos san, também chamados bosquímanos.

Enquadramento do País
Geografia & Clima

Geografia de Angola

Angola situa-se na região ocidental de África Austral, entre a Namíbia e a Republica Democrática do Congo. Tem com extensão geográfica os seguintes dados:

  • Superfície: 1.246.700 km2;
  • Extensão da Costa Atlântica: 1.650 Km;
  • Fronteiras Terrestres: 4.837 Km;
  • Latitude – Norte – 04°22'G / Sul - 18°02'G;
  • Longitude – Leste – 24°05'E.G / Oeste – 11°41'E.G.

Faz fronteira Países limítrofes a Norte: República do Congo e República Democrática do Congo.
Países limítrofes a Leste: República Democrática do Congo e República da Zâmbia.
Países limítrofes a Sul: República da Namíbia.
Oeste: Oceano Atlântico

A faixa costeira é temperada pela corrente fria de Benguela.

O Clima

Tropical húmido, estende-se por quase todo o território nacional excepto no litoral centro sul e na fronteira sul. Assim, apresenta duas estações: a das chuvas, período mais quente que ocorre entre os meses de Setembro a Maio, e a do Cacimbo ou Seca é menos quente e mais seca, vai de Maio a Setembro.

Divide-se em regiões climáticas distintas:

  • Região Litoral - com humidade relativa média anual de 30% e temperatura média superior aos 23°C;
  • Região do Interior: Norte - com grande pluviosidade e temperaturas altas
  • Região do Interior: Planalto Central - com uma estação Seca e temperaturas médias da ordem dos 19ºC
  • Região do Interior: Sudoeste - com amplitudes térmicas bastante acentuadas devido à proximidade do deserto do Calaári e à influência de massas de ar tropical.

Enquadramento do País
Cultura & Curiosidades

Cultura

Uma das grandes mais-valias de Angola é sem dúvida a sua cultura em todas as suas manifestações. A música angolana tanto a tradicional (semba, rebita), como a dita moderna (kizomba, kuduro, zouk) tem sabido trilhar o seu caminho, já com alguma projecção internacional.

Existem alguns instrumentos tradicionais que importa mencionar que fazem parte da riqueza cultural e tradicional angolana, como o batuque, o kissange e a marimba. "À marimba e ao kissange Ao nosso Carnaval Havemos de voltar." As danças tradicionais extremamente ritmadas têm também lugar de destaque não deixando ninguém indiferente.

A cada momento são enriquecidas com novos ritmos e variações como demonstração da apurada criatividade angolana no que a elas diz respeito. O Carnaval é sem duvida uma das expressões culturais a seguir com um conjugar harmonioso de música, dança e tradição. Em termos de artesanato Angola tem sem dúvida muito a oferecer.

O artesanato em madeira é talvez o que tem mais expressão (pau-preto, pau cinza, pau rosa, pangapanga), mas existem ainda outros materiais que são explorados com muita mestria como o barro, a mateba (fibra duma palmeira), bronze, marfim, chifre, etc. Nota importante – Se adquirir peças de artesanato e pretender levá-las para o exterior do país deverá adquirir um selo no Ministério da Cultura e colá-lo na peça.

Curiosidades

Em Angola, a dança distingue diversos géneros, significados, formas e contextos, equilibrando a vertente recreativa com a sua condição de veículo de comunicação religiosa, curativa, ritual e mesmo de intervenção social. Não se restringindo ao âmbito tradicional e popular, manifesta-se igualmente através de linguagens académicas e contemporâneas.

A presença constante da dança no quotidiano, é produto de um contexto cultural apelativo para a interiorização de estruturas rítmicas desde cedo. Iniciando-se pelo estreito contacto da criança com os movimentos da mãe (às costas da qual é transportada), esta ligação é fortalecida através da participação dos jovens nas diferentes celebrações sociais (Os jovens são os que mais se envolvem), onde a dança se revela determinante enquanto factor de integração e preservação da identidade e do sentimento comunitário.

Com isto, Angola hoje destaca-se pelos mais diversos estilos musicais, tendo como principais: o Semba, o Kuduro e a Kizomba.

Recursos Económicos

Angola possui uma grande diversidade de recursos naturais. Estima-se que seu subsolo tenha 35 dos 45 minerais mais importantes do comércio mundial, entre os quais se destacam petróleo, diamante e gás natural.

Há também grandes reservas de fosfato, ferro, manganésio, cobre, ouro e rochas ornamentais, além de uma grande produção pecuária. A cultura do café e o petróleo representam 90% das exportações.

As principais bacias de petróleo em expansão situam-se junto à costa nas províncias de Cabinda e Zaire, no norte do País.

As reservas de diamantes nas províncias de Lunda Norte e Lunda Sul são admiradas por sua qualidade e consideradas umas das mais importantes do mundo.

As Praias

A Angola dispõe de cerca de 1.650 Km de litoral, onde inúmeros rios de caudal elevado desaguam formando imensos estuários onde gradualmente ao longo do tempo vão depositando os sedimentos arrastados pelas suas águas. Isto deu origem á formação de várias ilhas e baías, local onde se localizam as melhores praias de Angola.

O clima da região permite que as praias sejam frequentadas todo o ano, no entanto é na época quente que existe uma maior procura pelas mesmas, que se tornam bastante frequentadas, sejam pelos habitantes locais como pelos numerosos turistas que anualmente visitam a região.

Junto ás mesmas é habitual a existência de restaurantes, estabelecimentos de comércio e de diversão, que á noite são principalmente com musica e danças Africana.

Praia do Mussulo, Cabo Ledo, Sangano, Surfistas, Palmeirinhas, Caota, Baía Azul, N´Zeto, Morena, entre tantas outras, justificam por si só a visita a Angola.

Fauna & Flora

A orografia e as características climáticas de Angola originaram uma diversidade na cobertura vegetal proporcionando habitats próprios a uma grande variedade de espécies de animais de grande e pequeno porte. Angola apresenta cinco tipos de zonas naturais, designadamente a floresta húmida e densa como a Floresta do Maiombe, que contém as mais raríssimas madeiras do mundo, as Savanas, normalmente associadas às matas como é o caso das Lundas, as Savanas Secas com árvores ou arbustos, em Luanda, baixa de Kassanje e certas áreas das Lundas.

Existem ainda Zonas de Estepe ao longo de uma faixa que tem o início a sul do Sumbe e, por fim, a Zona Desértica que ocupa uma estreita faixa costeira no extremo sul do país, onde podemos encontrar no deserto do Namibe uma espécie única e endêmica no mundo que tanto caracteriza este país a “Welwitchia Mirabilis”.

Em relação a fauna, no território angolano conhecem-se inúmeras espécies espalhadas por várias regiões. Na Floresta do Maiombe habitam Gorilas, Chimpanzés e Papagaios. Nas zonas naturais mais húmidas do norte, centro e leste, podemos observar o Golungo, a Palanca Negra-Gigante, uma espécie endêmica no mundo e em vias de extinção, a Seixa e os Elefantes. Já nas regiões mais secas aparecem a Cabra de Leque, o Guelengue do deserto ou Orix, o Gnu, a Impala, a Chita, o Búfalo, também o Elefante, a Zebra e a Girafa. Os animais mais ou menos comuns a todo o território são a Hiena, a Palanca Vermelha, o Leão, o Leopardo e o Hipopótamo.

A fim de preservar espécies animais e vegetais, algumas ameaçadas de extinção, foram delimitados parques e reservas naturais, em todo o território angolano. A caça, actualmente, está proibida e existem reservas especiais para protecção e controlo da fauna selvagem. Entre as várias espécies de animais existentes destacam-se a Palanca Negra-Gigante, apenas existente em Angola, o elefante, a pacaça, o potamochero, leão, leopardo, chacal, olongo, elande, gnu, zebra entre muitos outros.

Nos parques do litoral existem locais de desova da tartaruga marítima. Angola também é rica na fauna marítima, existem igualmente uma enorme variedade de peixes e de mariscos, que igualmente encontram-se nos rios e, a par destes, podemos ver também Crocodilos e Jacarés.

Os Principais Rios

O principal rio de Angola é o Kwanza, que dá o nome a moeda nacional com 1000 Km de longitude, mas apenas 240 Km são navegáveis. De seguida, o Kubango com 975 Km, depois o Cunene com 800 Km e por fim, na lista dos quatro principais do país, o Zaire com 150 Km de longitude, sendo este último, todo ele navegável.

Os rios angolanos oferecem oportunidades para a implementação de negócios de interesse turístico ou mistos do tipo comércio-turismo ou ainda a prática do eco-turismo.

Religião

A maioria da população angolana professa a religião católica. Cerca da quarta parte da população pertencem as igrejas protestantes introduzidas durante o período colonial: as igrejas Baptista, enraizadas principalmente entre os bakongos, as metodistas, concentradas na área dos ambundos, e as congregacionais, implantadas entre os ovimbundos, para além das comunidades mais reduzidas de protestantes reformados e luteranos.

Existem ainda as igrejas adventistas, as neo-apostólicas e um número de igrejas pentecostais, algumas das quais com forte influência brasileira. Há, finalmente, duas igrejas do tipo sincrético, nomeadamente as igrejas kimbanguistas com origem da República Democrática do Congo e as igrejas toquistas que se constituíram em Angola, ambas com comunidades de dimensão bastante limitada.

Os praticantes de religiões tradicionais africanas constituem uma pequena minoria, de carácter residual, mas entre os cristãos encontram-se com alguma frequência crenças e costumes herdados daquelas religiões. Destaca-se ainda a presença de muçulmanos provenientes de outros países da África Ocidental.

Institucionais & Privados
Os Nossos Parceiros

infotur
Client 1
Client 2
Client 3
Client 4
Client 4

SIGA-NOS

Inscreva-se na nossa Newsletter

Registe-se e receba todas as nossas novidades, promoções e produtos em destaque.

2019©angolaturismo.ao, Todos os direitos reservados.

brasao2 01 01

Pesquisa